Entrevista com Antônio Inácio Ribeiro

Blog do Dentista

 

 

RIBEIRO, MARKETING E ODONTOLOGIA

 

 

- Por que optou pelo marketing?

Inicialmente foi por necessidade, para promover minha empresa. Com o tempo fui percebendo que com ele poderia ajudar meus clientes a tocarem melhor suas carreiras. Sem contar o prazer por aprender coisas novas e melhorar meu nível de relacionamentos.


- Com mais de 30 anos de profissão, ainda publica livros e artigos, ministra cursos, dá aulas e palestras, onde vai buscar fôlego e motivação para tanto?

Meu pai aos 50 anos foi fazer uma pós-graduação no Rio e outra na França. Minha mãe aos 55 fez sua segunda faculdade. Acho que recebi deles um exemplo positivo de que o saber rejuvenesce. Pessoalmente sinto que com o convívio dos mais jovens, melhoro minha motivação. Sem contar que planejo e determino metas, de acordo com as etapas da vida. Com isso me realizo.


- A Odontex existe há mais de três décadas, é fácil vender livros para dentistas?

Vendo livros até hoje, mas cada vez anda mais difícil, pois o interesse por eles vem diminuindo muito. Por isso tenho aberto novas frentes, como os cursos presenciais e interativos, além de me dedicar muito à Internet, que me parece ser o futuro. Hoje tenho a vantagem de não precisar mais da venda dos livros, já que minha fonte de receita maior são os componentes implantológicos.


- Conheceu muitos dentistas ao longo dos anos,  quais são os que mais admira?

Admiro os que escrevem e se põem a passar o que aprenderam, dividindo com os demais os ensinamentos que os fizeram melhores. Meus ídolos são em sua maioria, os grandes autores e principalmente os que fazem sucesso ministrando. Como são muitos, não quero ser indelicado e esquecer alguns.


- Por que dentistas costumam ter alguma dificuldade com o lado empresarial da profissão?

É um problema de formação, já que não tem disciplinas que os ensinem o lado empreendedor da Odontologia na sua graduação. Afora isso, as entidades de classe destinam pouco espaço de suas programações a cursos de gestão e marketing. Estou convicto de que estes conhecimentos hoje fazem a diferença entre os bem sucedidos e os nem tanto.


- Qual é a importância do humor na odontologia?

A maioria dos dentistas carrega estigmas que não correspondem mais a realidade: careiros e dolorosos. Com os avanços da profissão, estes pontos perderam sentido. Só ficou o lado pouco comunicador da maioria, talvez porque a necessidade de trabalhar na boca impede um maior diálogo com os pacientes. Uma maneira de romper isso é mantendo o bom humor, principalmente nas adversidades. Por isso dou tanta atenção ao lado humorístico, por o entender fonte de conquista e melhora da imagem.


- Por último, e como não poderia deixar de ser, quem é o seu dentista?

Tenho boas lembranças desta pergunta, pois durante cinco anos fui diretor do JAO – Jornal de Assessoria ao Odontologista, onde publicava entrevistas com famosos e colocava esta como última pergunta. Que com prazer respondo: Gilberto Costa, um gaúcho que trabalhou como controlador de vôo para poder viabilizar seu sonho: a Odontologia e hoje se realiza como periodontista, protesista e implantodontista.